quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Mudei, agora e tumblr

http://superculturautil.tumblr.com/ Acessem é laga agora meu point kkkkkkkkkkkkkkkk

Desculpa, desculpa

Oi meninas, mil perdões por ter abandonado o blog, é que a escola não está fácil, eu só queria mostra para voces meu canal no youtube, onde eu faço meus desenhos:
http://www.youtube.com/user/Karolineamd?feature=mhee

Quem quiser comentar ou clicar em gostei(ou em não gostei também) por favor eu ficaria muito agradecida :D

domingo, 29 de abril de 2012

Camiseta - Pink Floyd

Como voces escolheram aqui está a camiseta do Pink Floyd...
[ Desculpem o layout está uma droga, mas acho que não vou arrumar então se acostumem rsrsrs]

asialazzo.tumblr.com


domingo, 1 de abril de 2012

https://www.fanfiction.com.br/historia/199071/Asia_-_Os_Portais/capitulo/1


O Simbolo
Era o primeiro dia de chuva em muito tempo. Ásia olhava as plantas lá fora e imaginava as quanto agradecidas estariam por receber um pouco de água. O clima seco na região surpreendera todos os meteorologistas que não sabiam explicar como uma cidade marcada por grandes tempestades naquela época do ano estava na mais completa seca.
Antes de a chuva ter começado Ásia tinha ido até uma locadora e alugado dois filmes. Um de terror e uma comédia. Sua mãe sempre a perguntava por que ela assistia a filmes de terror. “Pelo mesmo motivo que alguém assiste um romance, porque gosta”, era sempre sua resposta. Afinal, filmes de terror são bons pelos sustos, o frio na espinha e o coração acelerado. Ficar gritando para os personagens não olharem no espelho ou não entrarem na casa ameaçadora.
Ela foi até a cozinha, colocou uma pipoca no microondas, esperou os três minutos, foi até a sala e colocou o DVD. Puxou um cobertor, pois fazia um pouco de frio. O nome do filme era Pesadelo e no início, podia-se ouvir uma música de suspense. Contava a história de uma garota que sonhava com a morte de pessoas que ela desconhecia. Ao final do filme ela sonhava com a própria morte e os créditos desciam.
Ásia Lazzo, descendente de italianos, era uma garota de 16 anos que não se assustava tão fácil, já vira quase todos os filmes de terror da locadora mais próxima da sua casa. Ela passa o dia todo sozinha enquanto o pai e a mãe trabalhavam. Suas férias tinham começado e a de sua mãe também, seu pai só pegaria ferias uma semana depois. Gostava de rock e metal para a tristeza de seus pais.
Já anoitecera, a chuva tinha parado e o frio aumentara como se o corpo da cidade estivesse morto. Ásia estava no seu quarto lendo uma revista sobre Ovnis, ela era uma aficionada por sobrenatural e coisas sem explicação. A matéria que estava lendo falava sobre a possibilidade de terem encontrado um extraterrestre em um lugar da Antártica, estava muito concentrada lendo quando ouviu uma batida na janela. Olhou para fora viu seu melhor amigo Maurice olhando para ela com a mesma expressão de uma criança quando entra numa loja de brinquedos. Ela foi até a janela e a abriu.
– O que está fazendo aqui essa hora? – Ela disse apontando para o relógio em sua escrivaninha que marcava quase meia noite.
– Você precisa ver uma coisa. – Seus olhos brilhavam numa mescla de felicidade e medo.
– Agora? – Não obteve resposta, e foi puxada para fora.
Correram quase 10 minutos, em ruas completamente desertas. A lua olhava para eles, se perguntando que tipo de loucos estariam correndo àquela hora por uma cidade adormecida.
– Quer me dizer onde diabos estamos indo. E quer largar meu pulso.
Ele olhou para sua mão que ainda estava firme no pulso da amiga.
– Desculpe, nós já estamos quase lá... Ah, chegamos. Voce sabe que as vezes eu tenho dificuldade para dormir e fico perambulando por ai, foi então que esbarrei com isso.
O que viam era uma casa, vizinha a um terreno baldio, de aparência normal exceto por uma peculiaridade que adornava a parede. Na parte lateral que dava para o terreno vazio via-se um grande símbolo impossível de se ser explicado, cheio de voltas e floreios.
– E quer saber o mais impressionante? – Disse Maurice, parecia que ia explodir de excitação.
– Tem mais? – Ásia não imaginava como aquilo poderia ser mais legal e tenebroso ao mesmo tempo.
– Repare com o que isso foi pintado.
Ela se aproximou, mas não precisou chegar muito perto para saber que aquilo não era uma tinta comum, era sangue, misturado com um pó amarelado que cheirava mal.
– Enxofre? Quem faria uma coisa dessas? – Ela apoio sua cabeça em seu próprio ombro e ficou olhando tentando achar um sentido. O símbolo redondo escorria em alguns pontos. – Você já notou isso ao redor será que são letras?
Os dois olharam e apertaram os olhos, aquela imagem deveria ter uns 3 metros de diâmetro.
– Está escrito Be... Berith?
– Acho que sim – Maurice pegou um papel de seu bolso e uma caneta e escreveu o nome – Amanhã vamos pesquisar.
– Amanhã. Eu já tenho que voltar – Ásia não tirava os olhos do símbolo.
...
No outro dia, antes de pesquisarem alguma coisa. Eles resolveram voltar para a tal casa e conseguir alguma informação com que morava ali. A casa ficava na rua Piccnol no número 106 e estava cheia de policiais.
– Isso vai tornar nossa visita mais complicada – Ásia olhou para o amigo e concordou.
– Duvido que eles saibam de alguma coisa. – Um casal acabava de sair da casa, a mulher visivelmente abalada enquanto rapaz conversava com um dos policiais. – Deveríamos voltar mais tarde.
Deram meia volta e foram até a casa de Maurice. Chegando lá, o cheiro maravilhoso dos bolos que sua mãe fazia como meio de conseguir dinheiro faria qualquer um ficar com água na boca.
– Que tal um lanche antes – Ásia disse rindo. O amigo concordou com a cabeça.
Quinze minutos depois estavam na frente do computador pesquisando aquela palavra estranha.
– Veja só o que encontrei – Ásia começou – “Berith é um dos grandes duques do inferno, tendo sobre suas ordens 36 legiões de almas impuras. Sabe sobre o passado, presente e futuro assim como é capaz de transformar metais em ouro o que na verdade é uma metáfora para a capacidade de conceder riquezas através de poderes místicos.”
– O que você acha?
– Eu acho possam ter sido arruaceiros querendo pregar uma peça pegaram um símbolo qualquer e um pobre animal para fornecer a tinta.
– Não sei, é um símbolo complicado de se desenhar e foi feito com certa precisão. Acho que temos um clube satânico na cidade e eles resolveram mostrar que existem. Já apagaram?
– Receio que sim, a polícia bateu umas fotos e colheu umas amostras. Depois disso lavaram. Estava em um desses jornais locais que chegaram lá bem quando já estavam lavando a parede a pedido do casal provavelmente, eu acho compreensível.
– Sim, alguma foto?
– Não no que eu li.
– O que devemos fazer?
– Agora? Esperar as análises saírem e torcer para eles passarem as informações para o jornal. Também podemos pesquisar mais sobre o tal Berith, em livros que são mais confiáveis.
Eles não disseram, mas ambos pressentiam que existia algo muito aterrorizante naquela história e que se envolver nela era sinal de perigo. Olharam para a janela, onde a Lua, amarelada reinava sozinha esperando a resolução daquele mistério.
Primeiro capítulo para voces... Quer ler mais acesse: https://www.fanfiction.com.br/historia/199071/Asia_-_Os_Portais

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Vencedora do concurso

A vencedora foi a Jujubaa02, aqui está o link da imagem da pontuação dela no jogo:

http://4.bp.blogspot.com/-6Km0MuyiJTA/TzO5_DAmltI/AAAAAAAAB6E/pSk0f1JY4pE/s1600/666.bmp

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Desculpas

Meninas fique esse tempo sem postar porque estava resolvendo uns assuntos ai, daqui a pouco posto o resultado do concurso...

Página "Meus Textos"

Pessoal, eu vou colocar meus textos neste blog, algumas de minha opiniões podem não ser iguais as de vocês leitores, mas eu espero que respeitem!